Resenha: Buick 8

(1 voto, média de 5.00 em 5)

Stephen King é conhecido mundialmente como o mestre do terror, e não sem motivo. Sua capacidade de criar histórias interessantes a partir de situações corriqueiras é espantosa. Assim como é espantosa a forma com que ele cria a rotina de seus personagens sem tornar-se enfadonho.

Buick 8 foi o segundo livro de King que li, ainda assim, 9 anos após ter lido o primeiro (que foi Cemitério). Cheguei na livraria procurando o livro “Saco de Ossos”, que, felizmente, não tinha. Digo felizmente pois, decidido a levar um livro de King, pus-me a escolher outro título; dentre os que lá estavam (e as opções não eram muitas), Buick 8 foi o livro cuja sinopse mais me chamou a atenção (embora não tenha despertado aquela vontade de comprá-lo).

A idéia do livro é aparentemente simples: Em 1979, Curtis Wilcox e Ennis Rafferty atendem a um chamado em um posto de gasolina; um cliente parou para abastecer, dirigiu-se ao banheiro e nunca mais foi visto. Os dois então levam o carro para a delegacia, aonde fica guardado no sombrio galpão B. Mas, aquilo não era um simples carro. Capaz de recuperar-se sozinho de avarias, um motor potente que não funciona, e algo que faz com que o cão mascote da delegacia divida-se entre fascínio e medo, aquele sinistro Buick desperta a curiosidade dos policiais do departamento, que durante anos tentam desvendar seus segredos. Curtis é o mais empenhado em estudar o carro, e, quando algum tempo depois um dos policiais some misteriosamente, eles percebem que aquele carro pode ser um enigma muito mais perigoso do que imaginavam.

Em 2001, pouco depois de Curtis morrer em um fatal acidente durante o trabalho, seu filho Ned, de 18 anos, passa a freqüentar o departamento, disposto a cortar a grama, limpar janelas, ou qualquer outra coisa que possa mantê-lo por ali. Sandy Dearborn, que fora o melhor amigo de Curtis, percebe que esta é a forma que o garoto encontrou para sentir-se próximo do pai, e acaba por admiti-lo na família. Até que um dia, Ned descobre, escondido no galpão B, o velho Buick. Vinte anos depois, o mesmo mistério que tomou conta de seu pai agora também toma conta dele, que também quer respostas. O segredo mais bem guardado da polícia da Pensilvânia começa a despertar não somente nos corações e mentes dos policiais veteranos, mas também dentro do galpão B.

Apesar de partir de uma premissa simples, King consegue contar a história de maneira espetacular, envolvente, e usando aquele tom narrativo que lhe é tão peculiar. Um detalhe bem interessante aqui é a alternância que ocorre entre a pessoa narradora: hora em primeira pessoa, hora em terceira pessoa, ainda assim incapaz de confundir o leitor. Foi a primeira vez que vi o uso de tal recurso, e achei simplesmente genial.

No decorrer da leitura pude perceber, de maneira bem sutil, uma pequena homenagem a H. P. Lovecraft. O final do livro foge um pouco do padrão de King (ao menos, do que dizem), e conseguiu dar o desfecho perfeito para a história.

Buick 8, no fundo, é um romance sobre o fascínio que todos temos pelo sobrenatural, e, indo além, da nossa eterna busca por respostas. Um romance que não assusta, mas que não deixa de causar fascínio.

Ficha Técnica:

Stephen King, 2002

Título Original: From a Buick 8

Editora Objetiva

Comentários   

#6 Janelle » 17-03-2017 23:43

Magnificent goods from you, man. I have understand your stuff previous to
and you're just too fantastic. I really like what you have acquired here,
certainly like what you're saying and the way in which you
say it. You make it enjoyable and you still care for to keep it wise.
I can not wait to read far more from you. This is really a terrific website.



Visit my weblog ... bit.ly
0 +−

Janelle

#5 Luiz Poleto » 03-04-2013 18:22

Citando decio cupramim:
Blz q vc acabou com um bom livro nas mãos, mas não desiste de ler "Saco de ossos" ok?
Infinitamente superior (o que não quer dizer que Buick 8 seja ruim, pq não é).


Oi Decio,

O tempo passou e eu consegui ler Saco de Ossos. Para ser honesto, acho que o livro deixa a desejar. É uma história mediana contada de maneira maravilhosa (graças à narrativa de King, que é sensacional). Posso estar errado, mas acho que, desde que li "Os Mortos Vivos", eu torço o nariz para qualquer história que use o tema de fantasma-vingativo e que não seja tão extraordinária como a obra de Peter Straub.
0 +−

Luiz Poleto

#4 decio cupramim » 08-03-2013 16:28

Blz q vc acabou com um bom livro nas mãos, mas não desiste de ler "Saco de ossos" ok?
Infinitamente superior (o que não quer dizer que Buick 8 seja ruim, pq não é).
0 +−

decio cupramim

#3 Luiz Poleto » 08-05-2012 23:22

Citando Meiry:
Você já leu Cristinne? A história é parecida???


Meiry, a história é totalmente diferente de Cristinne.
Enquanto Cristinne é mais agressivo e está mais próximo ao estilo do King no começo da carreira, Buick 8 é mais suave e está mais de acordo com o King do século XXI.
0 +−

Luiz Poleto

#2 Meiry » 08-05-2012 16:40

Você já leu Cristinne? A história é parecida???
0 +−

Meiry

#1 Thasyel Fall » 16-08-2011 16:58

Foi pra lista... vou dar uma conferida... adoro King... :lol: :lol:
+1 +−

Thasyel Fall

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar

Você está aqui: Resenhas Livros Resenha: Buick 8